UM NOVO VEÍCULO SERÁ PRODUZIDO NA FÁBRICA DO GRUPO PSA EM RENNES

UM NOVO VEÍCULO SERÁ PRODUZIDO NA FÁBRICA DO GRUPO PSA EM RENNES

Como parte da ofensiva de produtos incluídos no “Push to Pass” – plano que inclui 34 novos modelos – a fábrica de Rennes vai produzir um novo veículo da Citroën em 2018. O projeto C84 está incluído na dinâmica da marca Citroën, que lançará quatro novos modelos em menos de 18 meses.

O Crossover, dotado da plataforma EMP2, virá somar-se à produção do futuro Peugeot 5008 e do Citroën E-MEHARI. Com estes três modelos, a produção da unidade alcançará 100 mil veículos por ano, versus 60 mil atualmente.

Ao término de um estudo de vários meses realizado pelo Grupo PSA, a escolha da unidade de produção recaiu sobre Rennes, tendo em conta os esforços da fábrica voltados para o aumento da eficiência, assim como os seus compromissos em matéria de modernização.

O plano de modernização da unidade propõe soluções de ruptura, com a implantação de processos de fabricação modernos e ágeis. As obras de modernização terão início no começo de 2017, devendo ser concluídas em 2018. O investimento de 100 milhões de euros beneficiará também as empresas do setor automotivo da região da Bretanha.

A decisão de produzir este novo veículo em Rennes foi possível graças ao empenho de todos os funcionários e a uma verdadeira vontade de construir conjuntamente o futuro da fábrica, compartilhada pela Direção e pelas organizações sindicais signatárias.

No último dia 29 de abril, foi concluído na fábrica um acordo chamado ”Contrato de Futuro para Rennes“ com o apoio de cinco das seis organizações sindicais do Grupo (CFDT, CFE/CGC, CFTC, FO e SIA/GSEA), representando mais de 80% dos funcionários. Este acordo condicionava a decisão de fabricar o novo veículo na fábrica, portanto, será aplicado a partir de 1º de janeiro de 2017.

Por ocasião desse anúncio, Carlos Tavares, Presidente Mundial do Grupo PSA, declarou: “A decisão de atribuir a Rennes a fabricação deste novo veículo demonstra que as partes envolvidas, animadas pela vontade de construir conjuntamente o futuro de um centro de produção industrial, podem criar as condições de desempenho necessárias para uma dinâmica de progresso permanente em termos de eficiência”, explicou.

FONTE:R7